Sobre queijos, damascos violão e samba

 “Pois é
Falaramtantoquedestavez
amorenafoiembora 
Disseramqueela era a maioral
E eu é quemnãosoubeaproveitar
 Endeusaram a morenatanto, tanto
 Queelaresolveu me abandonar A maldadenessagente é uma arte
 Tantofizeramquehouve a separação, ai, ai, ai
 Mulher a genteencontraemtoda parte
 Mas não se encontra a mulherque a gente tem no coracao” AtaulfoAlves

Erauumaquintafeira à tarde. No Mercado do bairroenquantocompravaquejo e damascopara as minhassessõessolitárias de vinho, nalojaaolado um violao e um pandeiroacompanhavam as vozesemvários sambas antigos. Feita a compra, resolviespiar de pertoaquelesomqueenchia o lugar de bossa…não nova.,antiga. Tãofelizficaramosmúsicosao se depararemcom a únicaespectadora do show, quecantaramessamusicade AtaulfoAlvesemminhahomenagem. OsMulambos. Esse era o nome do trio quehátrintaanosnãomaistocavam e foram se encontrarali, naquelaquinta à tarde no mercado. E encherammeudia de graça e esperança. É isso: queroestar no coracaoe navidade um homemque me queira. Tim tim! Aos“Mulambos e a AtaufoAlves!

Maria Cristina de Souza Fernandes

Sobre Maria Angela S. Fernandes

PMP. Instructional Designer. MBA professor. Very interested in innovation management.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

Qual a sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s